Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/dunnas/public_html/adm/conecta.php:7) in /home/dunnas/public_html/site_funcoes.php on line 11

Projeto Parto Adequado

...

Projeto Parto Adequado

O Programa Parto Adequado, o qual o Hospital Maternidade Almeida Castro faz parte, é desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e o Institute for Healthcare Improvement (IHI), com o apoio do Ministério da Saúde.

O objetivo é identificar modelos inovadores e viáveis de atenção ao parto e nascimento, que valorizem o parto normal e reduzam o percentual de cesarianas sem indicação clínica na saúde suplementar.

Essa iniciativa visa ainda a oferecer às mulheres e aos bebês o cuidado certo, na hora certa, ao longo da gestação, durante todo o trabalho de parto e pós-parto, considerando a estrutura e o preparo da equipe multiprofissional, a medicina baseada em evidência e as condições socioculturais e afetivas da gestante e da família.

O Parto Adequado está na sua Fase 2, a qual será desenvolvida ao longo de dois anos (até maio de 2019). Nesta etapa, participam hospitais e operadoras de todo o País. Foram selecionadas 136 maternidades, entre estas o Hospital Maternidade Almeida Castro, e 68 operadoras de planos de saúde que manifestaram interesse em atuar como apoiadoras do projeto.

Números que mostram o crescimento da iniciativa, já que a Fase 1, também denominada “piloto”, contou com a adesão de 35 hospitais.

O Hospital Maternidade Almeida Castro participa ativamente dos projetos, estando presente em todos os eventos, através da enfermeira obstetra Maria Adeiza, do médico obstetra Luis Dalama, do interventor Benedito Viana, da coordenadora de programas Edilene Torquato, entre outros profissionais da instituição.

Ao longo de 18 meses, foram alcançados resultados transformacionais, pois os hospitais piloto protagonizaram a criação de um novo modelo de assistência materno-infantil para o Brasil e evitaram a realização de 10 mil cesarianas desnecessárias. Para a coordenadora dos trabalhos de intervenção judicial no Hospital Maternidade Almeida Castro, Larizza Queiroz, o programa é fundamental nesta fase de restruturação da instituição.